#HypeArtists – Julia Pereira

Julia Pereira (aka @juliapeartree) usa a arte como resposta para exteriorizar inquietações internas e talvez por isso mesmo seu trabalho seja em grande parte autobiográfico. Um de seus projetos mais recentes foi a colaboração com as marcas Alekta & LYCRA para o lançamento de uma coleção powered by Hype 011 que tem tudo a ver com as suas criações. Na entrevista abaixo apresentamos essa #HypeArtist e seu trabalho em detalhes. Check it out!

Hype 011: Como você descobriu seu interesse pela arte?
Julia: Foi muito instintivo na verdade. Desde pequena eu sempre ia bem nas aulas de arte na escola, era a minha matéria mais forte e onde eu me sentia mais à vontade. Uma das minhas primeiras memórias de vida aconteceu quando abrindo uma folha sulfite dobrada ao meio, cheia de tinta esmagada, eu fiquei admirada com a simetria bagunçada das cores molhadas no papel que formavam uma borboleta. O interesse cresceu e desenvolveu de maneira natural.

julia pereira

H: Como você descreveria seu trabalho?
J: Com a intenção de responder angústias internas meu trabalho é uma importante etapa do processo de realização pessoal que começou há mais de 10 anos. Atuando como artista pude começar a entender como principalmente a pintura pode se tornar um meio para o autodescobrimento e a conscientização do ser além da superfície. Esse enfrentamento diante da tela, a dificuldade em assumir que eu sou pintora, aparenta ser invisível aos olhos nu, mas é angustiante e problemático. Faz me sentir como se nunca fosse responder aos meus questionamentos de maneira satisfatória, porém é motivante ao mesmo tempo porque sinto que não tenho outra escolha e que isto não tem fim. Com isso, tento ocupar o espaço entre o figurativo e abstrato, o leve e o intenso, construindo forma e expressando sentimento através do gesto.

H: Quais são suas principais inspirações?
J: Para o meu trabalho digital eu estou interessada na estética meio sci-fi orgânica futurista, assim como em questões ligadas à tecnologia e como isso afeta a nossa memória visual e percepção. Acredito ter o Alexander McQueen e a Iris Van Herpen flutuando sobre minha cabeça de vez em quando também!
Para a pintura é diferente, atualmente ela permeia o lado autobiográfico, se alimenta de imagens e situações à minha volta, em minha esfera pessoal de relações afetivas.

julia pereira

H: Que artistas influenciam seu trabalho?
J: Francis Bacon, Lucian Freud, Jenny Saville, David Hockney, Egon Schiele, Jorge Ginle, Chuck Close, Manoel Veiga e Robert Smithson.

H: Qual foi a primeira obra que fez seu coração bater mais forte?
J: Eu interpretei essa questão de duas maneiras. Primeiro eu pensei em um trabalho que eu mesma havia realizado e que tivesse mexido demais comigo. É a tela Me, Mysef and I que fiz em 2008 quando tinha 16 anos e morava no exterior. Foi a primeira pintura que fiz de grandes dimensões e, quando a finalizei, percebi que queria fazer muito mais disso e o próximo já tinha que ser ainda maior! Aquilo me acordou. A segunda interpretação vai para trabalhos que fazem meu coração bater mais forte. É extremamente difícil escolher um só! Memórias marcantes incluem uma excursão que fiz com a turma de artes da escola e vi de perto as telas imensas de Mark Rothko pela primeira vez, e as esculturas do Anish Kapoor; O Beijo de Gustav Klimt me emocionou muito. Fiquei em transe.

julia pereira

H: Quais subjects você mais gosta de pintar?
J: Não tenho subjects fixos, embora hoje em dia eu pinte sobre o que está ao meu redor: as pessoas, relações e situações que me envolvem emocionalmente. Percebo que sinto uma necessidade de transmitir, de exteriorizar momentos, imagens e emoções que para mim querem virar pintura. Geralmente acabo criando formas que mal cabem dentro da tela, que às vezes sugerem uma escala desproporcional e até esquisita, que são maiores do que o espaço presente.

“The canvas can never fit everything, which urges me to create the next painting”

H: Que técnicas/materiais você utiliza?
J: Para pintura posso usar só tinta acrílica como também a mistura de diferentes mediums. No computador utilizo Photoshop e Illustrator.

julia pereira

H: Você poderia citar 5 perfis de artistas/museus favoritos para seguir no Instagram?
J: @ellysmallwood, @giugiubianchi, @airpixels, @artbasel, @avant.arte, @tate e @paintguide.

H: O que você gostaria de expressar com sua arte?
J: Quero ser verdadeira comigo mesma.

H: Sobre a parceria da Alekta, como foi participar desse projeto?
J: Foi bastante enriquecedor, pois além de ter sido um desafio em termos criativos, eu pude estar em contato com pessoas muito talentosas e inspiradoras.

julia pereira

H: O que você imaginou para o projeto com a Alekta?
J: Eu imaginei justamente como ficou. Para a instalação eu queria usar os tecidos de maneira que eles remetessem aos corpos das modelos durante o photoshoot: esticados e maleáveis justamente por causa da Lycra nas roupas. Quanto à arte do convite e os quadros na parede, deu tudo certo como planejado.

H: Como artista, você nunca viveria sem…
J: Sem um outlet para a minha força de expressão.

Fotos: reprodução/Julia Pereira e Gabriel Barrera

Share on FacebookPin on PinterestTweet about this on TwitterEmail this to someone

COMENTÁRIOS