#HypeArtists – Luan Zumbi

Descobrimos o trabalho de Luan Pereira de Mello (aka Luan Zumbi) entre um clique e outro do street style do São Paulo Fashion Week e não resistimos à combinação do talento para a arte e para a moda – dois subjects que a gente ama!

Conversamos com ele sobre como tudo começou, suas inspirações de arte e de moda, quem ele adoraria vestir com uma de suas peças handmade e, claro, zumbis. Check it out!

Hype: Quando você descobriu sua paixão por arte e ilustração? E por zumbis?
Luan: Eu comecei a pintar e desenhar quando era bem criança, era só o que eu fazia. Aí fui em uma atividade de crianças em uma exposição do Salvador Dali em 1998 no MASP e sem querer fiz uma sujeira que ficou parecendo com uns animais em um papel e acho que aquilo fez meus pais começarem a me incentivar mais ainda hahaha. De 2008 a 2012 na faculdade de Moda eu que desenhava nos trabalhos sempre, mas os desenhos dos meus cadernos eram totalmente outra coisa, sempre pessoas bizarras, bichos estranhos e desenhos zoando meus amigos. Então zumbi começou a virar moda do nada em 2011 e decidi fazer meu TCC de Moda sobre eles, e acabei reprovando. Pra fazer birra eu e meu amigo colocávamos zumbis escondidos em todos os trabalhos da faculdade hahah aí acabou virando um vício. Fiz meu Instagram @luanzumbi pra continuar fazendo essa graça e em 2014 voltei a pintar e desenhar de verdade de novo, em 2015 as coisas começaram a dar carto e passei a assinar meus trabalhos como Luan Zumbi, e eu sou viciado em zumbis sem birra hoje hahah.

luan zumbi

H: Por que trabalhar pintando/customizando peças de roupa?
L: Na faculdade eu não tinha dinheiro pra nada, então eu tinha que ficar mexendo nas roupas velhas de tempo em tempo, era uma faculdade de Moda e cada semestre todo mundo voltava uma nova pessoa, quase que uma obrigação, e eu lá com as roupas tingidas de preto sempre. Em 2010 mais ou menos descobri a canetinha de tecido e comecei a fazer camisetas pra vender e juntar um dinheiro pra fazer minhas coisas, eu vendia as camisetas que levava um dia inteiro fazendo por 25 ou 30 reais. Em 2011 no TCC eu e meu amigo criamos uma marca, a MonZtrare, que o trabalho pedia e comecei a usá-la pra vender minhas roupas com estampas feitas de água sanitária (cândida) que resolvi inventar na época e deu bem certo. Em agosto de 2015 peguei uma jaqueta minha que nunca tinha usado e pintei inteirinha achando que ia usar já que não tinha usado ela nenhuma vez durante um ano, ficou bem legal mas não combinava comigo mesmo depois de mudada. Então resolvi postar uma foto e vendê-la em um bazar pra um amigo que pediu pra pintar outras duas jaquetas dele, que também pintei e postei no Instagram, e depois disso nunca mais parei.

H: Você acompanha tendências, desfiles? Tem algum designer favorito?
L: Eu acho moda legal, mas nunca tive paciência pra acompanhar tudo, já trabalhei em uma marca que foi que me fez voltar a pintar pois minha chefe, a Juss, me incentivava muito pra desenhar mais. Fiz estampas a mão pra marcas diferentes da Casa de Criadores durante 2 anos e meio, e eu adoro fazer esse tipo de parceria, e até tenho vontade de um dia fazer um desfile. Eu amo a Vivinne Westwood, sou bem fã mesmo, e o lema dela eu levo pra minha vida que é o “do it yourself”, faça você mesmo. Em um documentário dela ela fala no fim pras pessoas não comprarem roupas, e sim pra fazerem as suas próprias, assim você não destrói o planeta, e depois diz que se você não souber fazer “…compre Vivienne Westwood”.

luan zumbi

H: Seu trabalho tem um estilo bem característico. O que mais te inspira ao pintar?
L: Eu fui o último a perceber isso, meus amigos sempre falavam e eu olhava pras minhas coisas e odiava. Depois que as coisas começaram a dar certo e cada vez mais pedidos começaram a aparecer eu percebi isso, mas só assim. O que mais me inspira eu não sei dizer, acho que tenho muitas imagens guardadas na cabeça de coisas antigas, monstros, zumbis, meus bonequinhos de criança, livros que leio e outras mil coisas que acabam se transformando no que eu faço, mas eu quase não tenho pesquisado coisas novas, travei nos monstros e ratos, mas eu gosto muito disso de verdade.

H: Quais são suas principais referências artísticas?
L: Minha artista favorita é a Frida Kahlo, eu nasci no mesmo dia que ela, 6 de julho, e quando descobri virei fanático, eu ia dizer que nossos trabalhos não tem ligação mas o que mais tenho feito nos últimos tempos são retratos de pessoas famosas, inclusive muitos pedidos de Fridas em camisetas haha.

luan zumbi

H: Como funciona o seu processo criativo? E quais técnicas você utiliza em seu trabalho?
L: É uma coisa bem simples, as pessoas me dão um tema, eu pesquiso imagens, coloco a peça de roupa na mesa e começo pintando direto com a tinta na superfície, sem rascunho nem nada, e sempre da certo no final, às vezes o resultado final é uma surpresa até pra mim. Todo meu trabalho é feito à mão, eu não sei usar nada de computador, nada além do PAINT que me salvava nas aulas de photoshop da faculdade. É uma coisa muito difícil pra mim, apesar de me atrapalhar em alguns trabalhos eu não me sinto com um ponto a menos que os designers digitais.

H: De que projeto/parceria você mais gostou de fazer parte?
L: O trabalho mais legal que eu fiz foi pintar o chão da calçada da CASA1, uma casa de acolhimento para LGBTs expulsos de casa e centro cultural, não só pela causa, mas também foi o maior desenho que fiz na vida, e fiz como todos os outros, inventei na hora sem rascunho nem nada.

luan zumbi

H: Quem você mais gostou de ver usando suas peças? E quem ainda gostaria de ver?
L: Eu fiquei muuuuuuito feliz quando vi a Karol Conka no palco do Cultura Inglesa Festival se apresentando pra milhares de pessoas usando uma jaqueta do David Bowie que fiz especialmente pra esse show dela, os olhos encheram de lágrimas.
Eu queria muito que a Pabllo Vittar usasse algo meu, e acabou acontecendo semana passada quando dei uma camiseta de presente em um show e ela postou uma foto usando algumas horas depois, fiquei sem palavras, mas agora quero ver ela usando algo meu montada de drag em algum showzão ou video clipe.

luan zumbi carol konka

H: Você pode nos contar se está trabalhando em algum novo projeto?
L: Todas as parcerias que eu faço surgem de uma hora pra outra e geralmente com o prazo de 5 dias pra entregar hahah então por enquanto não tenho nada escondido pra revelar.

H: E quais são seus planos para o futuro?
L: Eu quero ser reconhecido pelo meu trabalho, quero fazer muitas parcerias com artistas e marcas, e pretendo nunca parar de trabalhar, não penso em aposentadoria ou coisas do tipo porque acho que não tem trabalho melhor que esse pra mim.

Legal, né? Na galeria abaixo reunimos mais trabalhos do Luan, e se você quiser ter uma peça customizada pelo nosso #HypeArtist, é só entrar em contato pelo perfil dele lá no Instagram.

Fotos: reprodução/@LuanZumbi

Share on FacebookPin on PinterestTweet about this on TwitterEmail this to someone

COMENTÁRIOS